sábado, 9 de fevereiro de 2019

Bora Ouvir os 3 melhores posts de 2018?







Eu brinquei no ano passado que as retrospectivas estavam proibidas, mas cá estamos haha







Meio fora de tempo, meio fora do padrão, mas, como dizia um colega meu: antes cedo do que nunca haha


E também é importante ter esse post no portfólio do blog.


Foi um ano fraco também aqui no blog. Afinal, a bebê tomou toda a minha energia e eu só consegui produzir 20 posts inéditos. E aqui vou tentar escolher os 3 melhores.


Pra disputa ficar mais justa, excluí o último post do ano no qual fiz uma análise da qualidade musical atual e brinquei com uma retrospectiva futurista de dance music:




Excluí também o superpost especial das novelas comemorativo dos 3 anos do blog:




Então, partiu!


Clique nos links para ler os posts premiados! Curta todo o ecletismo, variedade e qualidade do blog.


Compartilhe o blog. Compartilhe músicas boas com a gente.


Sobe o SOM!




O blog tem me possibilitado conhecer e apresentar diversos artistas e bandas. Acabou virando um pagamento e uma missão. Na medalha de bronze, apresentamos o rock gaúcho baladinha da Vera Loca. E é uma responsabilidade imensa apresentar um artista que não está na grande mídia.







Uma das marcas do blog é fazer playlists temáticas e dessa vez juntamos 8 timbres femininos bastante diferentes para homenageá-las. Medalha de prata, mas poderia ser rosa.







Tradição mantida foi trazer rock brasil no meu aniversário. E é uma responsabilidade imensa apresentar a discografia de uma banda com tantos fãs. Pra cada disco, cada música selecionada, dei uns palpites. Post completíssimo!







Então era isso. Pra quem é do blog, grande abraço. Pra quem não conhecia, prazer. Soooooobe o som!


Ei, psiu, se liga…
Dá para ficar sabendo das novidades do blog pelas redes sociais. Sigam-me os bons!
      

Conheça a minha obra completa em:

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Bora Ouvir a Dance 2020?






Daí liga o meu pai pra reclamar: a Jangadeiro FM só toca os mesmos 8 artistas. E eles são indistinguíveis entre si. São praticamente as mesmas músicas. De manhã, quando eu vou, as mesmas músicas. E à tarde, quando eu volto, lá estão elas de novo. E no outro dia é a mesma coisa.


Será que as músicas estão todas iguais?


É a produção artística comercial. Chegou-se a um padrão do que as pessoas gostam. Ou são obrigadas a gostar já que não conseguem ouvir outra coisa. E aí gera-se um ciclo vicioso. Eu só gosto disso porque eu só ouço isso. Eu só ouço isso porque eu só gosto disso.


Sem contar a questão temática que todos os artistas, Renato Russo inclusive, sempre conheceram: as pessoas tendem a gostar mais de músicas que retratam situações da vida delas. A conexão fica mais “fácil”.


Até a Globo entrou na onda com o “Só Toca Top”. A Jovem Pan foi junto no sertanejo. (Quem diria?) Enfim, esse padrão está em todos os lugares que você escuta e quem quer ganhar dinheiro, adivinha só? Precisa produzir conforme a demanda!


E a demanda atual é juntar sertanejo com funk, sofrência com pornografia. Tá uma lindeza musical!






Mas não é o sertanejo raiz. Esse morreu. Assim como o funk romântico. E o forró, inclusive o eletrônico, também foi junto.


A axé music partiu dessa para uma melhor. O samba vive do legado, com raras exceções como o Diogo Nogueira que está tentando produzir novidades. E a MPB tem um pequeno sopro de renovação.


As redes sociais abriram espaço para artistas desconhecidos e estes sempre foram a maioria. Então, tem muita gente pra pouco espaço e a fama é cada vez mais efêmera. Pra se manter tocando no topo, é preciso sempre estar lançando novidades. As músicas chegaram a uma volatilidade incrível, quase uma story de Instagram. Os artistas das redes sociais precisam lançar uma música “nova” quinzenalmente. Eles lançam um repertório “novo” todo mês. A parada é insana!


(Fato curioso é que qualquer musicazinha do sertanejo rapidamente chega a milhões de visualizações no YouTube.)


Mas como gerar músicas “novas” constantemente?


Na criação de qualquer coisa, a única forma de ganhar produtividade é recorrendo a padrões criados e testados previamente.


E isso traz a sensação de que as músicas são todas iguais.


Eu sempre achei que o primeiro disco do artista era o melhor. Afinal, ele geralmente levava 10 anos pra conseguir gravar o disco e, então, ele podia selecionar somente as melhores músicas de quase toda a sua carreira.


Em seguida, a fama chegava e as gravadoras o pressionavam a lançar um disco por ano.


Obviamente, essa produção em escala acabava com a qualidade e coisa muito comum era ouvirmos “comprei um disco, mas só presta uma música”.


Esse funcionamento do mercado permanece o mesmo, só que o ciclo se tornou insanamente curto. Naturalmente, a qualidade desabou junto.


Daí, eu conheci o Júlio e ele veio me provar que é possível “criar” uma música “inédita” em 1 hora:








Leigo que era e poeta que sou, eu sempre ficava intrigado quando algum artista dizia: “fiz a música primeiro e depois coloquei a letra”. Ou: “o fulano me mandou a música para eu colocar a letra”.


Até que o monstro da didática, Professor Heitor Castro, me ensinou mais essa:






Aí volta o Júlio, no tempo de um Miojo, para ensinar a fazer um indie rock:







É a vez do Koji Kobura nos ensinar como é simples criar uma música somente com tecnologia. Tudo digital. Um pouco de teoria musical. Um simples celular da Motorola, um aplicativo e partiu!






E, finalizando a parceria no post, o Júlio volta discutindo se o rock acabou:






E os Gallagher’s brothers tão nessa discussão também! O Liam fala: “aqui é rock and roll, porra!”. E o Noel fala que o rock acabou. Inclusive, ele está gravando umas coisas muito diferentes.


A minha impressão é que a turma do rock envelheceu e as novas gerações não quiseram assumir o legado.


Até mesmo o Bon Jovi, o cara que não envelhece nunca, o Paulo Ricardo gringo haha, já tá com seus quase 60 anos. Embora, não aparente haha.


Todas as bandas envelheceram e ficaram com preguiça ou sem criatividade ou, caso bem comum nas viradas tecnológicas, não conseguiram se adaptar a esse novo mercado e a essa nova forma de produzir que eu citei lá no início do post.


O Biquíni Cavadão insiste em regravar os anos 80. A requentada da vez é no som dos Paralamas. O Skank até tá tentando gravar alguma coisa nova. E o Jota Quest vem de acústico. Por sinal, fórmula e ritmo que eu detesto.


Enquanto isso, a Rádio Beach Park “morreu” e eu me vi órfão de rádio FM. Outras circunstâncias mais me levaram de volta ao começo de tudo: a dance music. Naturalmente, sempre comparando com a Eurodance dos anos 90.


De repente, o YouTube, essa grande invenção da humanidade, me conectava às maiores gravadores de dance music do planeta. Antes, eu tinha que esperar meses até que uma música chegasse no Brasil, através dos lançamentos da Jovem Pan e da Cidade. Agora, eu posso beber direto na fonte. E conhecer as músicas no dia em que são lançadas, meses antes de começarem a tocar nas rádios.


Comecei com alguns canais específicos:




E a sensação inevitável foi: “poxa vida, até aqui as músicas são todas iguais!”.


Enfim, é o estilo musical desses canais e isso me obrigou a criar uma pasta específica no meu pen drive, que eu chamei de “Dance Vibe”.


Mas a Spinnin’ Records, Armada Music, Ultra Music, 3 Beat, Proximity e os grandes DJs mundiais estavam lá lançando dance music “raiz”. Muito parecido, mas não exatamente igual à Eurodance 90. Também já um pouco diferente da dance music da última década e foi quando eu percebi que essas músicas mereciam um cantinho especial no meu pen drive. Daí nasceu a pasta Dance 2020.


E eu levei isso para o título do post. Meio pegadinha, né? Mas vende a falsa ideia que o blog é descolado e futurista haha.


E como o som sempre tem que subir, esse post vai virar uma retrospectiva com as melhores músicas de dance que eu conheci em 2018, todas no segundo semestre.


E como até uma topada te bota pra frente, essa retrospectiva já vai te jogar pra 2020!


(A partir daqui, sem muitas novidades para a galera do Facebook.)


Compartilhe o blog. Compartilhe músicas boas com a gente.


Sobe o SOM!


#4
Russell Small & DNO P
When Somebody


Essa é uma pequena amostra do que eu estou chamando de Dance 2020. Uma batida impossível de não dançar. De brinde, um passeio por Nova Iorque.


Um elemento criativo bem comum é que a música acaba na metade. A batida cessa e o som fica bem baixinho e depois recomeça tudo pra jogar lá em cima de novo. Sensacional!





#3
Yves V & Zaeden feat. Jermaine Fleur
Something Like


Seguindo na batida da Dance 2020, a presença mais do que inusitada de um violão.


Reparem que é mais uma música que “acaba” na metade. O BPM desacelera, o som fica bem baixinho e depois recomeça tudo pra jogar lá em cima de novo. Sensacional!





#2
ManyFew
How Would You Know


Continuando com a nossa retrospectiva de dance music de 2018 e já com um ouvido em 2020, a segunda melhor música de dance que eu conheci esse ano! Como eu desejava que você conhecesse!





#1
Bingo Players
Love Me Right


Pra fechar o post e o ano, a melhor música que eu conheci em 2018! Um ano de muitas lembranças negativas, mas cheio de coisas boas também.


O elemento criativo em comum você já pegou, né? A música acaba na metade. A batida cessa e o som fica bem baixinho e depois recomeça tudo pra jogar lá em cima de novo. Sensacional!





Até tirei onda com a minha filha, quando fizemos um vídeo bem divertido com essa música:





Valeeeeeeeu!
Feliz 2019!
Até 2020!


Ei, psiu, se liga…
Dá para ficar sabendo das novidades do blog pelas redes sociais. Sigam-me os bons!
      

Conheça a minha obra completa em:

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Bora Ouvir Clássicos de Novelas? (3 Anos do Bora Ouvir Uma!)





É isso mesmo! O projeto Bora Ouvir Uma celebra 3 anos!






São 3 anos conhecendo música e gente do mundo inteiro.


Um projeto que me demanda um esforço financeiro para manter os blogs no ar. Um enorme esforço intelectual para produzir sempre conteúdo inédito e original. E um grande esforço físico – trabalhei até 24 horas nos posts que me exigiram mais. E isso ficou bem claro agora: nasceu a segunda Isa e elas estão consumindo 150% do meu tempo e 200% da minha energia. Tive que abrir mão de várias coisas de que gosto e escrever nos blogs foi uma delas.







Ainda assim, chegamos a 3 anos, com:


  • 3 anos no ar
  • 131 posts publicados
  • 78 mil visualizações
  • 2500 fãs no Facebook


A minha meta é que cada post seja único. E isso não é fácil.


Quando a crônica é sobre uma música em específico, é o Bora Ouvir UMA no seu sentido mais legítimo. Mas também escrevemos sobre um disco, um show e ainda nos atrevemos a apresentar a discografia de alguns artistas.


Tentamos sempre variar nos estilos musicais. E tentamos sempre transitar entre artistas consagrados e artistas desconhecidos.


A única regra rígida é que eu goste das músicas.


Enfim, aqui chegamos. E é um momento único para agradecer a cada uma e a cada um pelo carinho, amizade e companhia ao longo desses 3 anos.


Em retribuição, planejo manter o blog em 2019. Sempre requentando os 131 posts e me esforçando também para apresentar conteúdos inéditos.









Bora Ouvir Clássicos de Novelas?


Esse post ficou por mais de um ano na incubadora e, enfim, chegou a hora.


Afinal, os posts de aniversário sempre têm que ser fodásticos, como quando eu apresentei a minha banda favorita:




ou quando eu fiz o post mais colaborativo de todos:




Não deixa cair, não!”


Esse não é o post com as melhores músicas de novelas. Não é o post com as músicas mais novas das novelas. Nem é o post com as músicas mais antigas (talvez até seja hehe).


O foco aqui são músicas que se confundem com as novelas. São músicas que criaram uma identificação tão grande com as tramas, que a gente lembra mais da novela que do som.


E o exemplo mais clássico do que eu tô falando é a “Música da Camila Chorando”.


Enfim, a Globo apresenta seis ou sete novelas por dia. São seis ou sete novelas inéditas todos os anos ininterruptamente. No auge, chegou a lançar um disco nacional e outro internacional para cada novela. Então, não são todas as músicas de novelas. Seria impossível.


São algumas músicas que eu agrupei no meu pen drive em uma pasta chamada Novelas.


Se você sentir falta de alguma música, interaja através dos comentários, combinado?


As novelas se tornaram um produto legitimamente brasileiro no qual a Globo investia muita grana a fim de conseguir muita audiência e, consequentemente, muita grana de volta dos anunciantes.


As músicas entravam nas novelas com um duplo papel: encher tempo da novela (sem diálogos e às vezes até sem atores) e vender discos.


Tanto que muitas músicas foram feitas sob encomenda e o Roupa Nova se tornou um campeão disso.


Coisa mais comum era ver o nome do Mariozinho Rocha (diretor musical) nos créditos das novelas.


As novelas se assemelham aos seriados que trazem uma trama continuada, onde a audiência fica presa esperando a continuação da história. (Até que o Netflix quebrasse bastante essa lógica).


Os filmes também investem em músicas, mas geralmente é apenas uma música, para o clímax. Quem quebra essa lógica é a Disney que faz as suas animações musicais nas quais os clipes se sucedem ao longo do filme de forma até irritante. Tudo friamente calculado: vender!


Com a decadência da TV aberta, as novelas foram junto. Obviamente, com menos grana também para produzi-las.


Em tempo: tentei trazer novelas de outros canais, mas, na essência do post, não consegui.


E eu jamais poderia terminar a crônica sem falar da parte com a qual mais me identifico nas novelas: as aberturas! Sempre muito inventivas e com níveis artísticos elevados.


Então, bora lá! A partir daqui, serão poucas novidades para os amigos do Facebook que já puderam curtir previamente…


Compartilhe o blog. Compartilhe músicas boas com a gente.


Sobe o SOM!
#BoraOuvirUma3Anos
#SuperPostDasNovelas




1991
Vamp
Vange Leonel
Noite Preta


Há meses, tô com a ideia de fazer um post especial com clássicos de novelas para comemorar os 3 anos do blog.


Será que eu consigo?







2002
Mulheres Apaixonadas
Bon Jovi
Misunderstood


Será que sai o post especial com clássicos de novelas para comemorar os 3 anos do blog?







1992
Pedra Sobre Pedra
Fagner
Pedras que Cantam


Disparada a minha música favorita de novelas!


E, assim, pedra sobre pedra, digo, música sobre música, vamos fazendo o superpost de 3 anos do blog!







1995
Malhação
Lulu Santos
Assim Caminha a Humanidade


Fala sério!, se você fechar os olhos, dá até pra “ver” as letrinhas dançando na tela.


MA-LHA-ÇÃO!







1991
Lua Cheia de Amor
Os Paralamas Do Sucesso
Caleidoscópio


Essa aqui vem muito forte no post porque eu me lembro muito bem que o meu pai comprou o LP da novela Lua Cheia de Amor.







1989
Tieta
Caetano Veloso
Meia Lua Inteira


Essa foi uma das músicas que me fez criar uma pasta chamada “Novelas” no meu pendrive...







1993
Mulheres de Areia
Pepeu Gomes
Sexy Yemanjá


Essa foi a outra música que me fez criar uma pasta chamada “Novelas” no meu pendrive…


Por sinal, grande momento de 2018 quando finalmente subi o som no show do Pepeu Gomes!








1993
Fera Ferida
Maria Bethânia
Fera Ferida


Numa interpretação sensacional, parece mais que ela está contando uma história do que cantando uma música. E a história e a melodia vão subindo…







1994
A Viagem
Roupa Nova
A Viagem


E falando em post de novelas jamais poderiam faltar os campeões de trilhas por encomendas haha A gente até falou sobre isso no post especial deles.


Em tempo: tocar bateria é muito difícil. Cantar é muito difícil. Agora tenta fazer tudo isso ao mesmo tempo.







1989
Tieta
Luiz Caldas
Tieta


E o post das novelas me dá uma chance única de trazer para o blog o genial criador da axé music com seus “calçados” e som característicos.






2000
Laços de Família
Skank
Balada do Amor Inabalável


Daquelas centas novelinhas sem sal gravadas no Leblon, a música vai na mesma balada…








2002
O Beijo do Vampiro
The Marcels
Blue Moon


Musiquinha boa demais! O rock and roll nas origens.







2001
Coração de Estudante
14 Bis e Samuel Rosa
Bola de Meia Bola de Gude


Pra uma novela ambientada no interior de Minas, forçaram um setlist bem mineirinho…







1991
Felicidade
Roupa Nova
Começo Meio e Fim


Começo, meio e fim do post com os caras que mais cantaram em novelas.







BONUS TRACK 01


Mas o post dos 3 anos não pode acabar assim do nada, né? Ainda mais depois de 100 dias sem escrever nada… Então, bora lá ouvir mais uma?




1993
Renascer
Ivan Lins e Batacoto
Confins


A audiência veio junto na construção dinâmica do post no Facebook e a minha amiga do interior da Bahia pediu uma música que lembra muito o interior da Bahia e que foi tema de abertura de uma novela ambientada no interior da Bahia.







BONUS TRACK 02


2000
Laços de Família
Lara Fabian
Love by Grace


Uma das coisas que mais me deixa puto, é quando um cidadão fala sobre uma música e logo em seguida toca… outra música que não tem nada a ver com a história. Então, por questão de princípios, lai vai a “Música da Camila Chorando”…







BONUS TRACK 03


2001
A Grande Família
Dudu Nobre
A Grande Família


E pra gente ir embora lá em cima, bem animado, ao contrário da trilha sonora do casamento do meu cunhado, uma música que não era necessariamente de uma novela, mas que se encaixa perfeitamente no post!





Valeu! Valeu! Valeu!


Ei, psiu, se liga…
Dá para ficar sabendo das novidades do blog pelas redes sociais. Sigam-me os bons!
      

Conheça a minha obra completa em: